Séries

The Last Of Us: O infectado grudado na parede

No primeiro episódio de The Last of Us, ficou claro que os infectados podem representar uma grande ameaça. E um cenário assustador chamou a atenção: o corpo de um homem infectado pendurado na parede. 

The Last Of Us

A cena do homem morto na parede foi particularmente chocante e destacou as possíveis consequências de se cruzar com esses tipos de infectados. Eles estão entre os mais difíceis de enfrentar e, esta visão aterrorizante é um lembrete de que os infectados podem ser uma ameaça ainda maior do que parece.

Alerta: contém possíveis SPOILERS.

Quem jogou The Last of Us certamente se lembra da cena icônica do primeiro episódio, onde um infectado morto foi pendurado na parede. Para aqueles que não jogaram os jogos, essa cena deve ter gerado um grande choque. Mas o que ela significa? Qual é a história por trás desse infectado? Vamos descobrir!

Joel e Tess perseguem Robert, um traficante, para recuperar uma bateria de carro que ele havia roubado. Eles estão determinados a recuperar a bateria para que ela possa ser vendida como planejado.

Robert e sua turma estavam tentando vender uma bateria para os Vagalumes. Joel e Tess ficaram furiosos com a traição e foram atrás dos responsáveis.

Joel e Tess precisavam chegar aonde os caras estavam, mas passar pela área de quarentena restrita a civis era um grande desafio. Porém, como eram contrabandistas, eles conheciam bem as rotas alternativas que existem pela cidade e estavam prontos para usá-las para atingir seu destino.

Eles escolhem tomar uma das vias alternativas, e passam por um antigo túnel de metrô desativado. É enquanto viajam por este caminho que a dupla se depara com algo arrepiante – que antes já havia sido um ser humano.

The Last Of Us

Esse indivíduo infectado pelo Cordyceps não se comporta como um zumbi porque tem consciência de seus atos e não é motivado por uma compulsão incontrolável. Ele consegue pensar e se comunicar com outras pessoas. Embora seu comportamento possa ser errático, ele não é obrigado a agir de maneira agressiva ou violenta, como é o caso de um zumbi. Além disso, ele ainda conserva alguns traços da personalidade que tinha antes de ser infectado.

Na verdade, o Cordyceps pode infectar as pessoas de várias maneiras. Uma dessas maneiras é como os seres que aparecem no início do episódio, que não são realmente zumbis, mas sim pessoas infectadas com a doença. No entanto, outra forma de infecção, que aparece mais tarde no episódio, é ainda mais grotesca. Esta forma de infecção é tão aterradora que é difícil descrevê-la.

Os infectados de The Last of Us não foram mortos, mas foram infectados pelo fungo Cordyceps e tiveram seus cérebros comprometidos pelo fungo que se alojou neles, dando origem aos efeitos colaterais da infecção que os deixaram incapazes de controlar seus próprios movimentos e ações.

Os infectados que aparecem na franquia são anomalias, um tipo de infecção que causa comportamentos violentos e agressivos naqueles que são contaminados. Eles se espalham rapidamente, atacando e infectando outras pessoas, criando uma praga que pode se espalhar por toda a região. Os infectados possuem características muito semelhantes aos zumbis, como força e resistência aumentadas, mas eles não são zumbis.

A segunda infecção é extremamente preocupante. Ocorre quando o organismo não consegue resistir ao Cordyceps. Nesse caso, ao invés de possuir o hospedeiro, o Cordyceps acaba por matar as pessoas. É importante deixar claro que essas pessoas não são zumbis.

Para que uma pessoa se transformasse em um zumbi, ela precisaria morrer antes. O caso deste infectado no episódio foi diferente: em vez de se tornar um morto-vivo, o fungo continuou a crescer a partir dos seus restos mortais. É exatamente o que aconteceu com o homem que está na parede.

TLOU

Neste caso, a sorte não foi boa para este homem. Em vez de se tornar um infectado, como os outros vistos nas outras cenas, seu corpo não resistiu às mutações do Cordyceps e ele acabou indo para a vala. No entanto, o fungo continuou crescendo a partir de seu corpo morto e se espalhou pela parede, como vimos na série.

À medida que o corpo se decompõe, torna-se esquelético e frágil. No entanto, ainda está preso à parede devido ao crescimento do fungo de uma forma repugnante e bem nojenta.

Infecções fúngicas geralmente ocorrem em locais úmidos e escuros, longe de qualquer contato com a luz solar. O fungo é destruído imediatamente quando exposto à luz do sol. E este é um detalhe muito importante a ser observado.

Mas e aí? O que acontece com aqueles que morreram infectados? Sabe-se que os outros que estão vivos e infectados são perigosos e é preciso manter distância deles. No entanto, isso não é verdade para aqueles que morreram? Na verdade, não. Eles ainda podem ser perigosos, pois seus corpos podem conter o fungo e estar ainda em condições de transmiti-lo. É por isso que as medidas de segurança devem ser tomadas ao lidar com os corpos das vítimas do contágio.

Já nos games, é importante usar máscaras para se proteger contra a infecção. Isso porque, se houver qualquer fungo crescendo, ele começará a liberar esporos no ar. Quando esses esporos são inalados, a pessoa fica infectada instantaneamente. Por isso, é recomendável que os personagens usem máscaras para se proteger enquanto exploram regiões com esporos.

Também nas áreas mais remotas há grandes quantidades de infectados casca-grossas, como os Baiacus. Porém, a série mudou e já confirmou que não teremos os esporos. Isso, porém, não significa que esses seres como Baiacus por exemplo se tornarão inofensivos.

The Last Of Us

Quando os fungos crescerem demais, em vez de gerar esporos, eles vão produzir gavinhas. Estas são similares às que emergem das plantas, prendendo-se às folhas, ramos e outras partes da vegetação. A substituição dos esporos por gavinhas foi confirmada como parte da série da HBO.

De acordo com os criadores da série, Neil Druckmann e Craig Mazin, eles optaram por não empregar os esporos de forma semelhante à como aparecem nos jogos. Isso porque não faria sentido ao contexto da série.

Devido à natureza da série, os esporos se espalhariam por todo o mundo muito rapidamente, levando a uma infecção em massa. Isso tornaria a produção da série extremamente difícil, senão impossível de ter. Eles criaram uma maneira única e aflitiva de alertar as pessoas sobre o risco de infecção. Isso foi feito através do uso de gavinhas.

Os criadores da série afirmam que as gavinhas criam uma ligação entre os infectados que se torna quase como uma mente coletiva. Os infectados serão capazes de transmitir informações uns aos outros e compartilhar lembranças, como se fosse uma colmeia. Isso permitirá que eles trabalhem juntos como uma unidade, permitindo-lhes usar suas habilidades e experiências em conjunto para criar uma força maior.

Talvez as gavinhas dos mortos infectados sejam uma espécie de antena. No entanto, já que apenas os episódios 1 e 2 de The Last Of Us, foram lançados, não é possível assegurar isso com segurança.

Mas, se a galera de Joel e Tess encontrar corpos infectados com gavinhas já desenvolvidas, os outros infectados que estiverem próximos perceberão a sua presença e partiram para cima deles quase instantaneamente.

The Last Of Us

Assim, é claro que as gavinhas se tornarão uma ameaça séria para os personagens da série. O que eles não sabem é que o homem que apareceu no primeiro episódio da série é mais do que um zumbi infectado e morto – é uma ameaça direta. Essas gavinhas estão por toda parte, e mesmo que não sejam tão perigosas quanto os esporos, elas ainda representam um grande risco para a vida dos personagens. Agora você já sabe que temos mais do que um inimigo comum para enfrentar.

O Joel e a Tess tiveram sorte de não enfrentar gavinhas nesta ocasião, pois, se o tivessem feito, eles teriam sido cercados por outros infectados e a situação teria sido desastrosa. Agora, é esperar para ver como será quando mais infectados forem aparecer nos próximos episódios.


Publicidade: O site do Atualinerd é um projeto pessoal e precisamos muito do seu apoio para manter nossa página ativa para continuar trazendo notícias e informações, para você não perder a oportunidade de se manter informado.

Venha conhecer nosso canal no YouTube CLIQUE AQUI – Inscreva-se em nosso canal e fique sempre por dentro das curiosidades da cultura pop! Acesse e divirta-se!

Atilla Battezzati

Criador do site Atualinerd, casado, amo muito jogar vídeo game, assistir animes, ler mangás e quadrinhos, mega fã da Cultura Pop. Gosto muito de trocar ideias com as pessoas e agregar conhecimento como também aprender muito sobre as coisas da vida. Venha conosco e faça parte da nossa Família Atualinerd.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *