AnimeDragon BallMangá

Dragon Ball Super: O maior erro foi realizar Fanservice?

Dragon Ball Super expandiu o mundo de Dragon Ball de maneiras muito interessantes, mas será que os produtores cometeram um erro ao focar muito no fanservice?

Dragon Ball Super FanService

Dado seu sucesso colossal da obra por décadas, não foi nenhuma surpresa quando Dragon Ball recebeu uma sequência com Dragon Ball Super. Embora o renascimento da série tenha começado inicialmente com um par de filmes bem recebidos e claro não seria para menos, Battle of the Gods e Resurrection of Freeza são ótimos filmes, a resposta e a demanda dos fãs foram tão altas que esses filmes foram rapidamente adaptados a série e ao mangá, o que acabou em ambos os filmes fazendo parte da história original. Embora seja inegável que Dragon Ball Super só existe por causa dos fãs, na verdade são as expectativas dos fãs que estão impedindo a sequência da série de sua verdadeira grandeza por assim dizer.

Estreando em 2015 do criador da série Akira Toriyama e Toyotarou, Dragon Ball Super segue as aventuras contínuas de Goku enquanto ele luta para proteger seus amigos e o mundo de novas ameaças perigosas. Até agora, a série já rodou para impressionantes 78 capítulos e 16 volumes coletados no mangá. Muito mais do que apenas recapitular os filmes que inicialmente iniciaram sua história, a série expande significativamente o universo de Dragon Ball, chegando até a apresentar o seu conceito de multiverso que tem sido o foco de várias histórias. Embora haja inegavelmente alguns momentos incríveis alinhados nesses 78 capítulos, problemas mais profundos surgem quando olhamos além de seus destaques.

Em vez de fazer seus próprios desenvolvimentos, os produtores de Dragon Ball Super parecem contentes em dar aos fãs de Dragon Ball exatamente o que eles querem. Goku e Vegeta estão excluindo grande parte do elenco de apoio da série, um punhado de novas formas poderosas foram reveladas, e os principais vilões da série exibem níveis de poder cada vez mais absurdos, como a dobra da realidade Goku Black. Com o surgimento de vilões como Granola, Moro e Jiren, os Guerreiros Z em particular, foram os que mais sofreram, já que essas ameaças pressionam os heróis a atingirem níveis de poder cada vez mais absurdos, e personagens como Piccolo, Gohan, Tenshinhan, Kuririn, nem vou comentar sobre o Yamcha que foi largado até agora. Isso deixa apenas os dois Saiyajins, e embora Goku e Vegeta ainda sejam personagens divertidos de se seguir, eles não têm muito do desenvolvimento e crescimento que antes os definiam.

Dragon Ball Super FanService

Essa abordagem estática do personagem ignora completamente uma das coisas que torna Dragon Ball uma série tão marcante. Goku é um personagem dinâmico. Os leitores podem vê-lo evoluir de uma criança despreocupada para um artista marcial um pouco mais sério e, em seguida, para um verdadeiro homem de família. Em nenhum lugar isso é mais evidente do que quando Goku luta contra Cell e percebe que não pode vencer. Em um raro momento de humildade, Goku dá um passo para o lado, percebendo que seu filho Gohan está destinado a ultrapassá-lo em poder. São esses momentos cruciais que definiram previamente as transformações da marca registrada da série. Quando Goku ou qualquer um de seus amigos alcançaram um novo nível de poder, não foi apenas um ponto de virada para a batalha, foi um ponto de viragem para o crescimento do personagem em si. Além do Ultra-Ego de Vegeta, porém, a grande maioria das transformações em Dragon Ball Super só provaram ser trunfos na batalha ao invés de um sinal de desenvolvimento.

Apesar dessas deficiências um tanto significativas, Dragon Ball Super tem alguns pontos fortes. Finalmente, a introdução de mulheres Super Saiyajins já deveria ter acontecido há muito tempo e, finalmente, expandir a história do pai de Goku, Bardock, que hoje ficou imensamente interessante e bem mais estruturada. Ainda assim, é uma pena que este mundo expandido tenha custado o que tornou Dragon Ball tão especial. Dragon Ball Super pode estar cheio de fanservice, mas isso vem às custas do coração de Dragon Ball.

Atilla Battezzati

Criador do site Atualinerd, casado, amo muito jogar vídeo game, assistir animes, ler mangás e quadrinhos, mega fã da Cultura Pop. Gosto muito de trocar ideias com as pessoas e agregar conhecimento como também aprender muito sobre as coisas da vida. Venha conosco e faça parte da nossa Família Atualinerd.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *