HQ - Quadrinhos

Deadpool: Marvel ressuscita poder bem mais irritante

Em Deadpool Black, White & Blood # 3, a Marvel traz de volta uma das habilidades mais incomuns e irritantes do Mercenário falastrão.

DeadpoolAVISO de SPOILERS da HQ – Deadpool: Black, White e Blood # 3.

Deadpool sempre foi conhecido por sua natureza extremamente tagarela, mas em um ponto se tornou muito difícil para ele aguentar a si mesmo. Por muito tempo, um dos “superpoderes” não oficiais de Deadpool foi a presença de duas vozes distintas em sua cabeça, cujas piadas e observações por quebrar a quarta parede pareciam ser completamente independentes daquelas do homem cuja cabeça elas enchiam o saco; uma dessas vozes internas era maníaca e desequilibrada, enquanto a outra estava mais calma e mais monótona.

Essas vozes gêmeas foram um elemento definidor do personagem de Wade Wilson por muitos anos, e sua remoção sem cerimônias da mente de Wade em Deadpool Annual # 1 [por Ben Acker, Ben Blacker, Evan Shaner, Veronica Gandini e Joe Sabino] foi um grande ponto de viragem em uma transformação de Wade que passou de um anti-herói moralmente ambíguo em um herói bem-intencionado, mas muito equivocado. Isso faz com que as vozes reapareçam em Deadpool: Black, White and Blood # 3’sO Pior Convento do Mundo” [de Jay Baruchel, Paco Medina, Federico Blee e Sabino] ainda mais surpreendentes, e seu destaque na história poderia prenunciar seu retorno em outras histórias de Deadpool.

Deadpool

As vozes internas de Deadpool foram uma parte fundamental da identidade de Wade em suas primeiras aparições, não só servindo como a fonte de muito humor que chega a quebrar por diversas vezes a quarta parede de tão icônico, mas também esse fato funciona como extensão da instabilidade mental de Wade. As vozes frequentemente discutiam umas com as outras e Deadpool sobre como deveriam lidar com uma determinada situação ou interferiam quando ele estava tentando tomar uma decisão. Essa dinâmica está em plena exibição em “O Pior Convento do Mundo“, onde Deadpool rastreia um pinguim de estimação que ele encomendou de um serviço online, o que o leva a um “convento de pinguins” de neonazistas fingindo ser freiras. Ao longo da jornada, as duas vozes contradizem ativamente os pensamentos de Deadpool, insultam-no e o encorajam a abraçar suas tendências assassinas. A influência das vozes sobre Deadpool é muito forte, já que ele quase sempre cede às suas sugestões e aceita seus abusos sem reclamar.

Enquanto essas vozes foram inicialmente sugeridas como sendo outra manifestação da doença mental de Deadpool na HQ, Deadpool Annual # 1 revelou que elas eram o resultado da fusão não intencional de Wade com um dos vilões menos conhecidos do Capitão América, Madcap. Madcap era um jovem piedoso cuja visão de um universo racional foi destruída quando um caminhão carregando produtos químicos experimentais colidiu com o ônibus ao qual ele era passageiro, juntamente com a sua família e a congregação de sua igreja, matando a todos, exceto Madcap, que em vez disso recebeu poderes regenerativos e o capacidade de levar os outros à loucura. Madcap usou suas novas habilidades para atacar o mundo ao seu redor, levando a vários encontros com heróis como She-Hulk. Eventualmente, Madcap encontrou Deadpool em um telhado e um raio do martelo de Thor reduziu os dois a cinzas. Quando Deadpool se regenerou, ele absorveu Madcap sem querer.

Deadpool

Madcap se manifestou como a mais séria das duas vozes dentro da mente de Deadpool e permaneceria lá até que outro raio extraviado separasse os dois. Enquanto Madcap ficou ainda mais louco por seu tempo na mente de Wade, a sanidade de Deadpool melhorou após a separação. Agora que ele estava livre para pensar por si mesmo, Wade tornou-se menos impulsivo e mais consciente de seu ambiente e da maneira como suas ações afetavam os outros, levando-o a se tornar mais empático. Quando exatamente “O pior convento do mundo” é definido em continuidade não está claro, mas há uma grande diferença entre o comportamento perturbado que Deadpool exibe aqui e a ternura que ele mostra em suas interações mais recentes com personagens como Gabby Kinney, destacando como muito essas vozes o afetam.

O retorno das vozes pode ser um acontecimento único, mas há uma chance de que elas possam se tornar parte da vida de Deadpool novamente. Embora seja improvável que as vozes retornem nos quadrinhos, esse elemento do personagem de Wade pode ser transportado para sua estréia no Universo Cinematográfico da Marvel (UCM). Se o fizerem, as conversas de Deadpool com ele mesmo podem dar à interpretação no UCM para o personagem, dando o mesmo senso de humor peculiar e único que fez sua estreia nos quadrinhos tão memorável.

Atilla Battezzati

Criador do site Atualinerd, casado, amo muito jogar vídeo game, assistir animes, ler mangás e quadrinhos, mega fã da Cultura Pop. Gosto muito de trocar ideias com as pessoas e agregar conhecimento como também aprender muito sobre as coisas da vida. Venha conosco e faça parte da nossa Família Atualinerd.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *